Pages

Ads 468x60px

sexta-feira, 10 de maio de 2013

5

Michael Jackson Black Or White - As Curiosidades do Vídeo-Clipe

Desde que lançou o clipe Thriller, o cantor pop norte-americano Michael Jackson ficou conhecido pelas suas grandes produções dignas de Hollywood. Mas será que era isso mesmo? Com os clipes seguintes daquele disco, assim como no álbum seguinte, ele produziu bons vídeos, mas além de uma coreografia legal não tinham muita coisa pra mostrar. Pelo menos para quem gostava de ver efeitos especiais em clipes. Ok, o filme Moonwalker usou vários recursos inovadores para a época, mas o resultado geral dele ficou tão ruim que era difícil ter estômago para assisti-lo inteiro.

Mas em 1991, quando lançou o álbum Dangerous, Michael Jackson lançou vários clipes que faziam jus à sua fama de super-produtor, principalmente com a música de lançamento do disco: Black or White.

Eu lembro bem que foi no Fantástico que este clipe foi exibido pela primeira vez no Brasil, e fizeram um baita estardalhaço em torno dele por mais de uma semana. E quando finalmente chegou a hora de ver a nova produção do dançarino, ela não decepcionou.




O clipe realmente dava um banho em efeitos especiais e visuais, era tão bem produzido que quase não dava pra ficar assustado com a cara do cantor, que estava cada vez mais branca! Aliás, é sobre unificação racial que se trata a letra desta música, ou pelo menos deveria ser. O que todo mundo entendeu com a letra dessa música é que ele estava falando dele mesmo. Naquela época ainda não tinha sido divulgado que ele tinha vitiligo, que estava clareando sua pele, e todos achavam que ele tinha feito alguma macumba para para mudar de cor, porque ele mesmo seria racista.

Macaulay Culkin: o menino
ficou falado...
E tem alguns detalhes bem interessantes sobre este vídeo. Pra começar, ele conta com a participação especial de Macaulay Culkin, o ator mirim que já tinha enchido o saco de todo mundo com o filme Esqueceram de Mim, e aparece aí levando uma bronca do seu pai por estar ouvindo música muito alta, e depois o garoto faz seu velho voar para a África só com o som da sua guitarra amplificada, ao melhor estilo De Volta para o Futuro. Depois ele ainda parece de volta para dublar o rap da música.

Essa participação, assim como a amizade dele com o cantor, alimentou os boatos que surgiram depois de que ele tinha sido outra vítima dos ataques de Michael Jackson, rumores esses que ambos desmentiram.

Apesar do clipe ter efeitos especiais e de transições bacanas durante quase toda a sua duração, o que mais chamou a atenção foi a sequência final, onde usar a técnica morphing para transformar o rosto de uma pessoa em outra, várias vezes seguidas. Foi a cena mais demorada para se produzir, e o resultado impressiona até hoje.

Só eu achei que o Psy deu uma parodiada neste clipe em Gangnam Style?

E pra completar a obra, teve a polêmica. Depois de finalizada a música, uma pantera se transforma em Michael Jackson, que começa a sapatear, dançar, massagear seu clitóris e, por fim, sai vandalizando carros e vidraças, e ainda explode uma placa de neon só com o grito. Essa cena foi visto de maneira negativa pelos seus fãs (Michael Jackson um vândalo ? O que as criancinhas vão pensar!?), e logo depois, por decisão do próprio Michael, ela foi removida do vídeo.

Na parte final, tirem as
crianças da sala!
Mesmo assim a MTV norte-americana continuava passando a versão completa na íntegra nas madrugadas, mas à pedido do cantor, adicionaram digitalmente frases racistas nas coisas que ele quebrava, uma maneira de tentar justificar seu vandalismo.

Com isso tudo, a finalização com os Simpsons passou quase desapercebida. Ela é bem parecida com a cena do início, Bart está ouvindo música alta na TV, Homer aparece e fala para ele baixar o volume, mas como Bart não é o Macaulay, simplesmente manda seu pai catar coquinho.

Eu não sou muito fã desse cara, mas esse clipe é ótimo, e vale a pena conhecer ou relembrar. Confira aí então a versão na íntegra com a maquiagem digital, pois a versão original mesmo não encontrei em canto nenhum! 








5 comentários:

  1. Ótimo post mano, eu sou super fã do Michael, tanto que arrisco uns passos rsrs e até que mando bem, eu era um dos muitos que ficava ansioso para ver os clipes dele no fantástico e o clipe smooth criminal é o melhor pra mim =)

    ResponderExcluir
  2. Fã ou não, não tem como não reconhecer o trabalho dele... Lembro que na época não consegui assistir no Fantástico, só fui ver bem depois rsrsrs Adorei relembrar =)

    ResponderExcluir
  3. Pois é, passaram bem tarde, quase no final do programa.

    ResponderExcluir
  4. Adoro o Michael, sou muito fã do trabalho dele. Ele tinha presença de palco, e conseguia passar carisma para os seus clipes. Quando vi esse clipe pela primeira vez, o vi completo, nada me horrorizou no final rs - e eu na época era super novinha - lembro que quando ele estava nessa transição, por causa do virtiligo, minha mãe disse que ele queria virar mulher. Coisas que as pessoas inventam, mas adorei o seu post sobre o clipe, ficou muito bom!
    Obrigada por visitar o blog e volte sempre, tá?
    Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigado pela participação! =D